fbpx

Coragem:

Por muito tempo me sentia desconfortável quando as pessoas me chamavam de corajosa. Tinha uma crença de que me remetiam a alguém descumpridora de leis da vida. Entretanto, no dia em que parei e fiz um filme rápido da minha vida, ficou fácil entender o que realmente significa coragem:

  • Filha única, de pais separados na década de 70;
  • Utilizava transporte público sozinha para poder estudar desde 9 anos;
  • Com 14 anos, já trabalhava;
  • Com 17 anos, estava na faculdade, e tudo com muito sacrifício;
  • Mas como recompensa: carreira promissora, com liberdade, casamento, filhos adotivos e etc, etc, etc….

E tenham certeza que tive muito medo ao longo dessa jornada, ou seja, a coragem não é a ausência de medo. É, muitas vezes, deixar o coração agir apesar do medo.

Muitas pessoas me questionam até hoje, treze anos depois: “Como você teve coragem de adotar, ainda mais gêmeos, e com 5 anos?” Gente, a melhor e mais sincera resposta é essa: deixei meu coração agir. Coragem é força, mas é, também, amor.

  • Você já pensou a coragem que precisa de levantar todos os dias?
  • Coragem para olhar para o espelho?
  • Coragem para sair da sua casa?

Se pararmos para pensar bem, viver por si já é um ato de coragem. Corremos riscos. Tirar os pés da cama já nos coloca em um milhão de riscos. Podemos escorregar, nos queimar, bater o carro, ser assaltados, nos magoar, encontrar pessoas que irão falar o que não queremos ouvir, comentar coisas para outras que não queremos contar, enfim, viver! Viver é correr perigo e enfrentar o perigo é ter coragem.

A coragem não vem da força física, mas sim da força emocional e por isso a coragem está relacionada com os nossos valores pessoais. Mas não pensem que os corajosos estão ausentes do medo, como afirmei ali em cima. Todos nós temos medos e devemos ter, pois é ele que controla os nossos impulsos. A diferença é que o corajoso identifica quando um sentimento de medo se faz presente, o respeita e administra, mas não se dobra a eles. O corajoso encara e o resolve.

A coragem é uma condição para quem busca resolver os próprios problemas, ou seja, ela é o avesso da inércia e da procrastinação. Coragem é ação, é ver com clareza. Muitas vezes, aquilo que parece simples para algumas pessoas pode ser um verdadeiro desafio para outras.

Acredito que pessoas de coragem sempre pensam em ir além. E aí você deve estar perguntando: “Ir além, de quê?”. Ir além do limite que você acreditou que tinha. Quem disse que você não é capaz de resolver seus próprios problemas? Quem disse que você não consegue chegar a ser diretor da empresa onde trabalha? Quem disse que você não pode ter o seu negócio? Não podemos ter limites… nossos limites se tornam crenças, e essas crenças são geralmente limitantes. Essas crenças criam uma vida pequena, insuficiente e triste. Ir além dos limites exige ousadia, e ousadia é o resultado da coragem.

De uma coisa eu tenho certeza: ser ousado nos faz quebrar muito a cara, e afirmo isso com experiência própria.

Contudo, quantas vezes a sua falta de ousadia te gerou arrependimento?

Ousadia é coragem. Os ousados alcançam lugares novos, inesperados, surpreendentes. Ousados vão além. Corajosos e ousados se tornam conquistadores e realizadores.

Acho válido que façam essa reflexão, pois tornar-se corajoso e ousado te ajuda a vencer medos e ansiedades, a te libertar das dores do passado, a jamais aceitar procrastinar. Agora responda para você:

  • De 0 a 10, que nota você atribui a sua coragem?
  • De 0 a 10, que nota você atribui a sua ousadia?
  • Você já foi reconhecido como alguém corajoso e ousado?
  • Imagine-se sendo reconhecido como tal, qual sensação teria?
  • Ser livre é algo importante para você?
  • Você considera que abrir mão também é questão de coragem? Seja do seu emprego, casamento, amizade tóxica, estilo de vida?

Coragem inclui um momento que considero bem difícil, que é encerrar ciclos, sejam eles pessoais ou profissionais, pois criamos laços emocionais com aquilo que faz parte da nossa rotina.

É preciso ter a consciência de que desistir também é um ato de coragem e, por conseguinte, um ato libertador, embora muitos acreditem na ideia distorcida de que apenas covardes desistem, o que não é verdade. É importante lembrar que a vida não tem uma cartilha com regras prontas a serem seguidas. Por isso devemos, sempre, considerar todo o contexto para chegarmos à conclusão do que é ou não certo, justo, corajoso, digno.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *